quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Doença Mão - Pé - Boca

28/09/2017 por Dra Tânia Cavalho

A Doença Mão - Pé - Boca é uma infecção comum na infância, principalmente em menores de 10 anos e idade, causada por vários tipos de vírus do gêneroEnterovirus. Como toda doença viral é facilmente transmitida pelo contato de pessoa-pessoa e também por contato com superfícies contaminadas com algum tipo de secreção de um indivíduo doente. 

A doença é caracterizada inicialmente por febre baixa, tosse, redução do apetite, dor na barriga e no corpo, evoluindo após cerca de 2 a 3 dias com surgimento de vesículas na boca, língua e garganta. Na maioria das vezes também surgem vesículas e pequenas pápulas nas mãos e pés e até mesmo na área de fraldas. As lesões são dolorosas e podem aumentar formando "machucados" que normalmente se resolvem espontaneamente após 1 semana do início. 

Para prevenir a doença, medidas de higiene são fundamentais: 

- Não deixe que pessoas beijem o rostinho das crianças

- Higienizar os brinquedos quando forem usados por outras crianças: lavar com água e sabão e depois deixar de molho em uma solução com 1 colher de Hipoclorito de Sódio para cada Litro de água. 

- Lavar as mãos com frequência. 

O diagnóstico é feito pelo Pediatra que definirá qual a melhor conduta a ser tomada de acordo com cada criança. 

Fontes:

- A Guide to Clinical Management and Public Health Response for Hand, Foot and Mouth Disease (HFMD)

- Dynamed: Hand-foot-and-mouth disease

- Tratado de Pediatria - Nelson 18ª edição

Tags: mão-pé-boca

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Césio 137: o mais grave acidente radioativo do Brasil completa 30 anos

Substância radioativa se espalhou por Goiânia e ocasionou quatro mortes, além de deixar mais de mil afetados e um trauma que jamais será esquecido.
Fonte: Fantástico - TV Globo

O mais grave acidente radioativo do Brasil completa 30 anos, e o Fantástico volta ao cenário da tragédia do césio 137, em Goiânia. Hoje, no local, há um terreno concretado, mas, na época, funcionava um ferro velho, onde dois funcionários romperam um equipamento de radioterapia. A substância radioativa se espalhou pela cidade e ocasionou quatro mortes, além de deixar mais de mil pessoas afetadas pela radiação e um trauma que não será esquecido.
Na reportagem especial você vê fotos inéditas da época e o depoimento exclusivo de um dos condenados. Pela primeira vez, o físico responsável pelo aparelho de radioterapia apresenta sua versão sobre o acidente. O programa também vai ao depósito do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, onde até hoje está o lixo atômico, e mostra o que mudou nas regras de descarte de equipamentos hospitalares.
Link para a matéria no site do G1:


(Foram entrevistados, no IPEN, Francisco Biazini, Sandra Bellintani e José Cláudio Dellamano).

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Inscreva-se para o 9º Curso de PET-CT de tórax baseado em casos, em SP


No dia 7 de outubro, a SBMN promove o 9º Curso PET-CT de Tórax baseado em Casos, que acontecerá em São Paulo, no Hotel Grand Plaza. Destinada para médicos nucleares e áreas correlatas, a grade apresentará casos para corroborar com os conceitos transmitidos, a fim de enriquecer o debate.
Com a coordenação das médicas nucleares Giovanna Carvalho e Bárbara Juarez Amorim, o curso objetiva discutir todos os aspectos da tomografia de tórax de alta resolução. Giovanna é médica nuclear e radiologista com título de especialista pelo CBR, além de médica assistente do ICESP.
Faça sua inscrição em http://www.sbmnadm.org.br/webassociado