terça-feira, 29 de outubro de 2013

SBMN participa das audiências públicas sobre o RMB


Com objetivo de debater junto à sociedade civil, especialistas e demais interessados, sobre a implantação do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB), foram realizadas três audiências públicas no mês de outubro, nas quais foram apresentados os resultados do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e do Relatório de Impacto Ambiental (RIMA), referentes ao projeto do RMB.
As reuniões contaram com coordenação de representantes do Ibama, da equipe técnica da consultoria responsável pela elaboração do EIA e RIMA, de membros da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). A SBMN esteve representada pelo presidente Celso Darío Ramos, e pelo 1º tesoureiro, George Barberio Coura Filho.
A primeira audiência aconteceu no dia 22, em Iperó (SP), município escolhido para receber o empreendimento, a ser instalado em terreno ao lado do Centro Tecnológico da Marinha de Aramar.  Em 23 de outubro, foi a vez de Sorocaba (SP) sediar as discussões. Em ambas as ocasiões a maior parte dos participantes foi formada pelo público leigo em geral, o que rendeu um extenso debate de mais de três horas em cada dia acerca do Reator.
Presente em Sorocaba, o presidente da SBMN, Celso Darío Ramos, buscou esclarecer ao público quanto às diferenças existentes entre um reator e uma usina nuclear, bem como ponderar os benefícios à saúde, nos campos diagnóstico e terapêutico de doenças como cânceres e tireoide, provenientes do RMB. Darío também pontuou o papel do RMB na conquista da autossuficiência do País na produção de radioisótopos, além dos impactos em termos de avanços em pesquisas científicas. Na ocasião, Ramos cedeu entrevista à TV Tem (Globo local), que pode ser assistida aqui.   
Já no dia 24, em São Paulo (SP), o debate foi realizado no auditório do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Diferentemente das outras audiências, o público foi formado, em sua maior parte, por especialistas. O presidente da Sociedade, Celso Darío Ramos, ressaltou a importância de estabelecer um diálogo claro e transparente com a população acerca do Reator Multiprósito Brasileiro. Ao participar das outras discussões, Ramos percebeu que há ainda um desconhecimento das pessoas quanto ao uso da energia nuclear no campo da medicina.
A contar de 24 de outubro, data da última audiência pública, o Ibama receberá comentários, manifestações e sugestões por um prazo de 15 dias úteis. Estes deverão ser anexados ao respectivo processo administrativo de licenciamento do empreendimento, que segue em análise pelo Instituto, conforme edital publicado no Diário Oficial da União (DOU) n.o 173, Seção 3, pág. 185, em 06 de setembro 2013.
Neste período a SBMN irá enviar comentários com a finalidade de endossar a importância do RMB para o País, tanto no âmbito da saúde e medicina, quanto para a produção de fontes radioativas usadas em aplicações na indústria, na agricultura e no meio ambiente.



RJ: aparelho encaixotado em hospital é usado para diagnostico de câncer

São apenas 84 pet-scans em todo o país, um para cada 2,380 milhões.
Ideal é que houvesse um equipamento para cada 50 mil habitantes.


Na segunda-feira (28) o Bom Dia Brasil mostrou a situação precária do Hospital Universitário da Universidade Federal do Rio. Um dos aparelhos novos encaixotados há mais de um ano chamou a atenção. O equipamento usado para escanear o corpo humano e diagnosticar doenças graves é de alta tecnologia e difícil de encontrar no Brasil. São 84 em todo o país, pelos cálculos da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear.
As imagens mostradas com exclusividade pelo Bom Dia Brasil revelaram o estado de abandono do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, que pertence à Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Em uma das caixas encontradas no corredor que virou depósito, um tesouro da medicina moderna. Avaliado em R$ 2,2 milhões, o pet-scan permite uma avaliação precisa e rápida de doenças graves, como câncer.
“Faz muita diferença em pacientes oncológicos, no diagnóstico precoce de doenças, avaliação da resposta precoce destes pacientes na terapia. Isso faz um impacto muito grande depois para o paciente em relação à sobrevida, à cura”, afirma o médico Felipe Villela Pedras.
Existem hoje no Brasil apenas 84 equipamentos, o que dá uma média de um para cada 2,380 milhões de brasileiros. A tendência é que a partir de agora aumente ainda mais a procura por este tipo de exame. Uma resolução da Agência Nacional de Saúde suplementar aumentou de três para oito as situações em que os planos de saúde deverão cobrir as despesas para quem precisa usar o equipamento.
Antes os planos só cobriam o uso para exames de pulmão, linfomas e colo retal. Agora é possível usar para nódulo solitário de pulmão, mama com metástases, melanoma, câncer de cabeça e pescoço e câncer de esôfago.
Segundo a doutora Lea Miriam, da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear, o ideal é que houvesse um equipamento desses para cada 50 mil habitantes. Foi ela quem encomendou a compra do equipamento importado.
“A intenção era fazer do hospital universitário um centro de referencia, e quando acaba não aconteceu isso, devido à implosão, devido à parte elétrica do hospital que está muito ruim, que precisa ser reformada e está sendo reformada. Espero que até março do ano que vem seja consertada”, afirma.
Aos 84 anos, dona Maria José Gillet enfrenta mais uma batalha na luta contra o câncer. Ainda assim, ela se considera privilegiada. Pela segunda vez, vai se submeter a um dos mais modernos exames que existem no mundo. “Seria muito mais fácil se o governo olhasse mais e tomasse mais conta destas pessoas que não podem ter um plano de saúde”, lamenta.
A direção do hospital da UFRJ disse que aguarda o fim das obras na rede elétrica para instalar os equipamentos doados pelo Ministério da Educação.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Sorocaba recebe audiência pública sobre instalação de reator nuclear

Especialistas, políticos e ambientalistas se reuniram por três horas.
Previsão é de que instalação do reator em Iperó seja finalizada em 2018.


Mais uma audiência pública para discutir a instalação de um novo reator nuclear multipropósito no Centro de Pesquisas Experimentais de Aramar, em Iperó (SP), foi realizada na noite desta quarta-feira (23) em Sorocaba(SP). O custo total da obra, prevista para ser finalizada em 2018, deve chegar a R$1 bilhão. O investimento é do Governo Federal por meio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.
Durante cerca de três horas, especialistas em tecnologia nuclear, representantes da sociedade civil, políticos e ambientalistas discutiram o projeto que será voltado às pesquisas científicas nas áreas da saúde, indústria, agricultura e meio ambiente. Além de estudar a produção de elementos químicos e fontes radioativas, o quinto reator nuclear de pesquisa instalado no Brasil também vai ajudar a testar a irradiação de materiais e combustíveis nucleares.
Para Celso Darío Ramos, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear, a instalação do reator é muito importante para a pesquisa e o desenvolvimento de medicamentos radioativos, chamados de radiofármacos que ajudam, por exemplo, nos exames de diagnóstico por imagem.
“Esses radiofármacos são usados para tratar diversas doenças, como por exemplo, o câncer de tireóide, em que a maneira mais eficaz de realizar o tratamento é por meio de um isótono radioativo de iodo", destaca.

Obras do novo reator nuclear multipropósito do Centro Experimental de Pesquisas da Aramar, em Iperó, estão previstas para serem finalizadas em 2018 (Foto: Reprodução / TV TEM)
Link original: http://www.sbmn.org.br/site/secao/visualiza/1069


Audiência pública discute instalação de reator nuclear em Iperó

O reator deve ficar pronto em 2018.
Serão desenvolvidas pesquisas e produção de materiais.


Na primeira reunião com a população técnicos explicaram a atuação do novo reator nuclear (Foto: Reprodução/TV Tem)

O governo federal pretende instalar no Centro Experimental da Marinha, em Iperó (SP) um reator nuclear. Segundo a coordenação do projeto, o principal objetivo é o desenvolvimento de pesquisas e produção de materiais usados na medicina. O estudo de impacto ambiental para a instalação da unidade que vai abrigar o reator já foi aprovado pelo Ibama. Agora, começam as audiências públicas para discutir e esclarecer moradores sobre os riscos e benefícios.

Foi a primeira audiência pública para discutir a instalação do reator nuclear. Durante três horas, moradores de Iperó ouviram explicações sobre o reator. O Reator Multipropósito Brasileiro (RMB) está previsto para ficar pronto em 2018. Ele será instalado em uma área de 2 milhões de metros quadrados que fica ao lado do Centro Experimental Aramar.
O RMB será voltado à pesquisa para a produção de elementos químicos e fontes radioativas para a saúde, indústria, agricultura e meio ambiente. Também vai testar a irradiação de materiais e de combustíveis nucleares, além de realizar pesquisas científicas. "Esse reator vai ter o objetivo principal de produzir radioisótopos que são usados principalmente na medicina nuclear", disse José Augusto Perrota, coordenador técnico RMB.
O custo total da infraestrutura deve chegar a R$ 1 bilhão. Segundo o coordenador do projeto de construção do RMB, o quinto reator nuclear de pesquisa instalado no Brasil vai permitir que o Brasil dependa menos da importância de elementos químicos como molbidênio e iodo. "Nós importamos o molibidênio 99 e custa US$ 500 cada unidade. E o Brasil importa 450 por semana e distribui para mais de 300 clínicas no Brasil", disse o coordenador.
Desde que foi divulgado o projeto do reator nuclear, muitos moradores de Iperó se posicionaram contra. Eles temem acidentes nucleares semelhantes ao da usina de Fukushima, no Japão, em 2011. "No mundo inteiro esses reatores de pesquisa ficam muito próximos, dentro de universidades, dentro de centros de pesquisa e eles são seguros. Para fazer uma comparação prévia: a usina de Angra 2 gera 3.900 megawatts térmicos, o nosso reator são 30 megawatts. Então, ela utiliza 105 toneladas de urânio e nós usamos 35 quilos de urânio", explicou José Augusto. 
Uma comissão foi formada por representantes da sociedade civil para tentar impedir a obra. "Não existe 100% de segurança em termos de reator nuclear. E não importa em qual país, qual grau de desenvolvimento tecnológico, a qualidade investida, é impossível ter 100% de segurança. A Agência Internacional de Energia Nuclear recebe, por ano, cerca de 15 notificações de problemas de vazamentos, pequenos acidentes que acontecem nas usinas nucleares pelo mundo. E tem o problema do lixo. O lixo atômico permanece radioativo por cerca de 100 mil anos. A história da humanidade tem cerca de 50 mil anos. Imagina 100 mil anos, o que fazer? É uma herança maldita que eu não quero deixar para as próximas gerações", afirma o sociólogo Bruno Franqui.
Outra audiência pública será realizada nesta quarta-feira (23) em Sorocaba. Será às 19h30, na Sala Fundec, na rua Brigadeiro Tobias, 73, no Centro. E nesta quinta-feira (24) a discussão será em São Paulo, no auditório do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares. O horário também será às 19h30.

Secretário Rodrigo Garcia visita o Ipen

Fonte: Site da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia

O Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen) é responsável pela distribuição de radiofármacos utilizados em medicina nuclear a mais de 300 clínicas e hospitais do País 

SDECT
Visita do Secretário Rodrigo Garcia ao Ipen com Dr. Bressiani


O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Rodrigo Garcia, visitou nesta terça-feira (22/10), o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), onde foi recepcionado pelo superintendente, Dr. José Carlos Bressiani e pelo presidente da Comissão Nacional de Energia Nuclear, Dr. Ângelo Fernando Padilha. O encontro contou com a apresentação das principais ações do Instituto e visita ao Centro de Radiofarmácia, responsável pela produção demedicamentos com finalidade diagnóstica e terapêutica, usados pela medicina nuclear em diversas doenças, entre elas, o câncer.

Na ocasião, Rodrigo Garcia, falou sobre a importância da ciência e inovação para o desenvolvimento do Estado e explicou as principais metas de sua gestão. “Vou criar uma agenda institucionalizada com as prioridades da Secretaria, entre elas, a instalação do Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia (Concite), que além de um articulador de diversas iniciativas do governo paulista, também norteará eixos estratégicos para o investimento de recursos públicos em pesquisas”, completa. 

A reunião também contou com a participação de outros representantes do Instituto, entre eles, o diretor de Administração, Dr. José Antônio Dias Dieguez, o diretor de Pesquisa, Desenvolvimento e Ensino, Dr. Marcelo Linardi, o diretor de Planejamento e Gestão, Dr. Willy Hoppe de Souza e a gerente de Garantia da Qualidade, Dra. Elaine Bortoleti de Araújo. 

Sobre o Ipen 

Ipen é uma autarquia do Governo do Estado de São Paulo, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Ecômico, Ciência e Tecnologia. Está localizado na Cidade Universitária, em uma área de 500.000 m². É gerenciado técnica, administrativa e financeiramente pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), do Ministério Ciência e Tecnologia (MCT). 

O Instituto possui uma destacada atuação em vários setores da atividade nuclear entre elas: aplicação das radiações e radioisótopos, reatores nucleares, ciclo do combustível, radioproteção e dosimetria. Estes setores proporcionam avanços significativos no domínio de tecnologias, na produção de materiais e na prestação de serviços de valor econômico e estratégico para o país. 

O prédio do Ipen, também abriga uma das mais importantes incubadoras de empresas do País, o Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia- CIETEC, um elo de ligação entre instituições de ensino e pesquisa, órgãos governamentais e a iniciativa privada. De acordo com Bressiani, ele incentiva o crescimento da economia brasileira. “O Cietec amplia o índice de sobrevivência e a competitividade de empresas, além de aumentar a geração de empregos e a capacidade de exportação de seus produtos”, completa.


Informativo SBMN Nº01


SBMN convoca para audiências públicas sobre a implantação do Reator Multipropósito Nacional



Imagem: Dilic/Ibama

Debates ocorrem na próxima semana, nos dias 22, 23 e 24. Confira informações
A SBMN convoca todos os médicos e profissionais de áreas correlatas à Medicina Nuclear a participarem das audiências públicas agendadas para a próxima semana, nas quais estará em discussão o Reator Multipropósito Nacional. As reuniões ocorrem nos dias 22, 23 e 24 de outubro nas cidades de Iperó, Sorocaba e São Paulo, respectivamente, com início previsto para 19h30.
A diretoria da SBMN estará presente e espera contar com o apoio de todos durante estas ações, consideradas fundamentais para que o País conquiste a autonomia na produção de radioisótopos, matéria prima da medicina nuclear, bem como no avanço em pesquisas neste campo.
Veja mais informações - Em nota publicada em seu site, a Coordenação Técnica da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) para a implantação do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB) informa a toda a comunidade que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) recebeu, e aceitou para análise, o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) do empreendimento, conforme Edital publicado no Diário Oficial da União (DOU) n.o 173, Seção 3, pág. 185, em 6 de setembro 2013. Leia mais

Censo Médico AMB – 2013


A SBMN convida todos os médicos a participarem do Censo Médico AMB – 2013, levantamento que prevê apontar quantos médicos de fato exercem a medicina e suas especialidades, onde estão localizados, como está distribuída a dedicação para a assistência, ensino e pesquisa, administração e/ou atividades não médicas, além de indicar a movimentação dos médicos pelo Brasil nos diferentes momentos de sua carreira.

Com o Censo Médico a AMB pretende aprofundar o conhecimento do perfil dos médicos brasileiros para a formulação de políticas consistentes para a assistência à saúde no Brasil. Por isso, é de extrema importância a participação de todos os médicos para que o resultado final da pesquisa demonstre a verdadeira realidade da classe médica.

Acesse o site da Associação Médica Brasileira e responda ao questionário.

PET tem ampliação de indicações na saúde suplementar


Em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, presidente da SBMN repercute medida da ANS, que ampliou de procedimentos obrigatórios a serem cobertos.
Foi publicado em 22 de outubro pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), no Diário Oficial da União (D.O.U.), a Resolução Normativa – RN nº. 338, de 21 de outubro, que prevê a atualização do rol de procedimentos e eventos em saúde e constitui a referência básica para cobertura assistencial mínima nos planos privados de assistência à saúde.  
Entre os 44 procedimentos que tiveram ampliação na oferta de indicações está o exame PET Scan, que passa de três para oito – que são: detecção de nódulo pulmonar solitário, câncer de mama metastático, câncer de cabeça e pescoço, melanoma e câncer de esôfago. Antes eram contemplados apenas tumor pulmonar para células não pequenas, linfoma e câncer colorretal.  
Em entrevista cedida ao jornal “O Estado de S. Paulo”, publicado no dia 22, o presidente da SBMN, Celso Darío Ramos, considerou esta medida um avanço, tendo em vista um atraso de 10 anos de espera para aumentar o rol de possibilidades do PET na oncologia neste campo da saúde suplementar. Entretanto, Ramos salientou que ainda há indicações que ficaram de fora. “A lista não foi estendida para câncer de tireoide e de colo do útero, prática já comum em outros países, como Uruguai”, relatou à reportagem. Acesse aqui a matéria na íntegra.
Fora os procedimentos, a ANS ampliou também a cobertura de medicamentos orais. Confira
Saúde pública
O presidente da SBMN chama a atenção para o fato de, apesar da cobertura da saúde suplementar ter sido ampliada para oito doenças, no Sistema Único de Saúde a realidade ser outra. “A Sociedade defende que seja oferecido acesso ao PET também aos usuários da saúde pública como ferramenta no diagnóstico”. Ainda neste ano está previsto entrar em consulta pública o parecer da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (CONITEC) para incorporação do PET/CT na tabela de procedimentos do SUS como possibilidade terapêutica. A expectativa da entidade é de que recomendação da Comissão seja positiva para a inclusão. Saiba mais na edição número 3 de Medicina Nuclear em revista

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Têm início hoje as audiências para debater reator nuclear


Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul 

Evento promovido pelo Ibama começa às 19h30. Amanhã será em Sorocaba 

O comitê regional da Coalizão Contra Usinas Nucleares foi criado no sábado em Sorocaba com o objetivo de discutir a instalação do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB). A primeira ação do grupo está marcada para hoje, às 19h30, durante audiência pública organizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no Pólo Cultural da Secretaria de Educação de Iperó, na rua Luiz Rossi, 107, Jardim Irene. 

O sociólogo Bruno Franques, 34 anos, é integrante do comitê e definiu a instituição como "um movimento que articula a sociedade civil para o aprofundamento do debate e organização de ações de alerta sobre os perigos em torno da questão nuclear". "Foi aprovada a instalação de mais um reator nuclear, em Iperó, e por isso a nossa mobilização é imprescindível neste momento", comenta. 

Segundo Franques, os integrantes do comitê regional pretendem apresentar questões relacionadas à instalação do reator. "Iremos com camisetas e cartazes para protestar", diz. 

Estão agendadas três audiências públicas exigidas pela legislação no processo de licenciamento para a instalação do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB) em Iperó. As demais ocorrerão amanhã, às 19h30 no Auditório da Fundação de Desenvolvimento Cultural de Sorocaba (Fundec), e na quinta-feira, às 19h30, no auditório do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), em São Paulo. 

O objetivo do governo federal é que Iperó tenha o maior reator nuclear de pesquisa do País. O equipamento será usado no ramo da medicina nuclear, para o diagnóstico e tratamento de cânceres, e nas pesquisas voltadas à agricultura, energia, ciência dos materiais e ao meio ambiente. O Ipenespera que o projeto entre em funcionamento no fim de 2018. 

O projeto prevê a construção do RMB em um terreno localizado no quilômetro 10 da estrada municipal Bacaetava-Sorocaba, em Iperó. A área tem o tamanho de aproximadamente 2 milhões de metros quadrados e fica ao lado do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP), em Aramar. 

No mês passado, o Ibama aceitou, para análise, o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (Rima) para a instalação do reator. A partir de agora, as audiências servirão para que a população possa posicionar-se sobre o empreendimento e o conteúdo do EIA/Rima.


Link original: http://www.ipen.br/sitio/?idm=179

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Iperó terá o maior reator nuclear do país

Fonte: Cruzeiro do Sul 

A meta do Ipen, responsável pelo projeto, é que o equipamento entre em funcionamento no final de 2018 

Giuliano Bonamim

Adival B. Pinto
O RMB será composto de instalações nucleares, radioativas e de suporte que não contêm material nuclear ou radioativo.

A cidade de Iperó terá o maior reator nuclear de pesquisa do país. É o que revela o Relatório de Impacto Ambiental, elaborado e apresentado em setembro pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen). O equipamento será usado no ramo da medicina nuclear, para o diagnóstico e tratamento de cânceres, e nas pesquisas voltadas à agricultura, energia, ciência dos materiais e ao meio ambiente. O Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen) espera que o projeto entre em funcionamento no fim de 2018.

O documento detalha de forma didática as características que envolvem o projeto do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB), em Iperó. A lista inclui a descrição das instalações, a escolha do local, o motivo da construção, as expectativas ambientais e os riscos de acidentes. 

O projeto prevê a construção do RMB em um terreno localizado no quilômetro 10 da Rodovia Municipal Bacaetava - Sorocaba, em Iperó. A área tem o tamanho de aproximadamente 2 milhões de metros quadrados e fica ao lado do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP). 

A escolha do terreno foi estratégica. O relatório deixa claro que o RMB precisa estar fora de grandes centros populacionais e próximo aos laboratórios de fabricação de radiofármacos — inseridos no Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen) —, de forma a otimizar o processo de produção. 

A estrutura deve ainda ficar perto do acesso a "boas rodovias" e na proximidade de um aeroporto para o envio de material radioativo aos vários pontos do país e do exterior. 

O RMB será composto de instalações nucleares, radiativas e de suporte que não contêm material nuclear ou radioativo. "A concepção e o projeto seguem rígidas normas nacionais e internacionais de segurança das áreas nuclear e convencional para que seja o menor possível o risco de ocorrência de um evento anormal ou acidente envolvendo a operação", diz o texto. 

Já a avaliação de impacto ambiental ressalta a remoção da cobertura vegetal na área diretamente afetada pelo empreendimento, nas vias de acesso e canteiros de obras. O documento mostra também a implementação de planos para a qualidade do ar, dos níveis de barulho, de aumento de vulnerabilidade à erosão, de geração de lixo e da alteração na qualidade das águas superficiais. 

De acordo com Afonso Rodrigues de Aquino, pesquisador e integrante da assessoria de comunicação institucional do Ipen, a construção do RMB deve alterar o comportamento da região. "Tudo indica que o empreendimento irá agregar cerca de 500 empregos diretos, fora os indiretos e a chegada de novas empresas e indústrias", diz. 

O reator de pesquisa terá 30 MW de potência e será construído em uma área adjacente ao Centro Experimental Aramar (CEA), da Marinha do Brasil, onde é desenvolvido o protótipo do submarino nuclear brasileiro. Nas proximidades encontra-se a Floresta Nacional de Ipanema (Flora), uma unidade de conservação administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), no bioma Mata Atlântica.



sexta-feira, 18 de outubro de 2013

RS Press deseja um Feliz Dia do Médico!


Curso Presencial Interdisciplinar - Osteoporose Feminina de Ponta a Ponta


Trabalhos Premiados - XXVII Congresso Brasileiro de Medicina Nuclear


A SBMN agradece e parabeniza os autores dos trabalhos 
premiados no XXVII Congresso Brasileiro de Medicina Nuclear!

V Curso de atualização - Cardiologia Nuclear - CEPRO


18 de outubro - Dia do Médico


A SBMN deseja a todos os amigos, colegas e parceiros um feliz dia do Médico! 

Neste ano, em especial, muitos são os motivos que a nossa especialidade tem para comemorar, em vista das recentes conquistas alcançadas, como a filiação junto à Associação Médica Brasileira, a publicação dos primeiros exemplares da "Medicina Nuclear em revista", além de nossas bandeiras em prol do desenvolvimento, aperfeiçoamento e fortalecimento da MN no Brasil! 

A todos, nossos agradecimentos por fazerem parte da construção de nossa história no País!

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Eventos dezembro/2013


Encontro Nacional Sobre Quantificação em Tomografia por Emissão - SPECT & PET

IPEN - 9 a 11 de dezembro de 2013

Workshops Temáticos em: Quantificação, Radiofarmácia, Dosimetria Interna, Aplicações Clínicas.

11 a 13 de dezembro de 2013

MAIS INFORMAÇÕES EM BREVE!

CT Angiografia - PET/CT SCAN


Inscrições Gratuitas- CT ANGIOGRAFIA- PET/ CT SCAN- PALESTRANTE: Profº.Doutor Salvador B.Neto- DUKE UNIVERSITY MEDICAL CENTER DURHAM- North, Carolina- USA - DIA 25 DE OUTUBRO,CLIMEDI-ARACAJU/SE‏

Inscrições através do e-mail: secretaria@climedi.com.br

Outubro Rosa


O câncer de mama é a doença que mais mata mulheres em todo o mundo e para conscientizar a população feminina e a sociedade como um todo sobre o problema, prevenção e tratamento, foi criado o Outubro Rosa. O principal objetivo da mobilização, que dura o mês inteiro, é lembrar a população da importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. A cada 10 mulheres diagnosticadas com a doença no país, três morrem, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), órgão do Ministério de Saúde.

Comparison of Whole-Body Versus Limited Whole-Body 18F-FDG PET/CT Scan in Malignant Cutaneous Melanoma


Clinical Nuclear Medicine:
November 2013 - Volume 38 - Issue 11 - p 882-884
doi: 10.1097/RLU.0b013e3182a77cae
Original Articles
Comparison of Whole-Body Versus Limited Whole-Body 18F-FDG PET/CT Scan in Malignant Cutaneous Melanoma
Lazaga, Francisco Jose MD*; Öz, Orhan K. MD, PhD*; Adams-Huet, Beverley MS†; Anderson, Jon PhD*; Mathews, Dana MD, PhD*

Abstract
Objectives: The objectives of this study were to estimate retrospectively the incidence of clinically significant findings in the lower extremities in patients with malignant cutaneous melanoma scanned from the skull vertex to the bottom of the feet and whether these add additional diagnostic and prognostic information and to demonstrate a confidence interval that would support exclusion of lower-extremity scans in these patients.

Methods: This is a retrospective study of 200 patients who underwent 18F-FDG PET/CT for staging melanoma. Whole-body PET/CT scans including the lower extremities were reviewed. PET/CT findings in the lower extremities were tabulated by location, pathology, and clinical progress notes with documented clinical history and physical examination correlation.

Results: Among the 200 PET/CT scans, 3 scans had positive findings in the lower extremities. A biopsy was performed on 1 lesion, which was found to be an incidental squamous cell carcinoma. One lesion was considered a benign finding from inflammation demonstrated by clinical follow-up. One scan had a metastasis to the proximal femur, which is included in the standard FOV (eyes to midthighs). In this case series, the lower extremities’ true-positive findings never impacted or changed clinical management.

Conclusions: Our study confirms with a high degree of confidence that in patients with malignant cutaneous melanoma, additional lower-extremity scan results in little additional useful information and could be discontinued in patients whose melanoma did not arise in the lower extremities. PET/CT acquisition of the lower extremities results in increased scan time and unnecessary extra radiation dose from CT to melanoma patients.

Copyright © 2013 by Lippincott Williams & Wilkins

Effect of Intragastric Balloon on Gastric Emptying Time in Humans for Weight Control


Clinical Nuclear Medicine:
November 2013 - Volume 38 - Issue 11 - p 863-868
doi: 10.1097/RLU.0000000000000224
Original Articles
Effect of Intragastric Balloon on Gastric Emptying Time in Humans for Weight Control
Su, Hsin-Jung MD*; Kao, Chia-Hung MD†‡; Chen, Wan-Chen RT§; Chang, Tan-Tan RT§; Lin, Chun-Yi MD, DrPH§¶

Abstract
Purpose: This study evaluated the effect of fluid-filled intragastric balloon treatment on the scintigraphic gastric emptying times in humans for weight control.

Patients and Methods: Ten obese patients were prospectively recruited in our study. Three participants followed a solid food diet, and 7 participants followed a liquid meal diet to evaluate their scintigraphic gastric emptying times before and 3 months after fluid-filled intragastric balloon treatment.

Results: The participants included 3 males and 7 females. The mean age, body mass index, and body weight before intragastric balloon treatment were 36.8 ± 9.16 years, 35.91 ± 8.86 kg/m2, and 93.9 ± 24.09 kg, respectively. The mean body weight, body mass index, and body weight loss 3 months after the treatment were 80.2 ± 21.32 kg, 31.50 ± 8.90 kg/m2, and 13.7 ± 6.60 kg, respectively. The solid gastric emptying times before and 3 months after intragastric balloon treatment were 114 ± 18.52 minutes and 375.33 ± 207.04 minutes, respectively. The liquid gastric emptying times before and after intragastric balloon treatment were 38.71 ± 15.91 minutes and 318.71 ± 168.07 minutes, respectively. Statistically significant differences were observed in the solid and liquid gastric emptying times before and 3 months after intragastric balloon treatment using the Wilcoxon t test (P = 0.027, P = 0.001). Significantly positive correlations were observed between body weight loss and solid and liquid gastric emptying times after intragastric balloon placement using the Spearman correlation (β = 1.0, P < 0.001; β = 0.95, P = 0.001).

Conclusions: The solid and liquid scintigraphic gastric emptying half time is significantly longer after intragastric balloon treatment in humans. A significantly positive correlation between body weight loss and scintigraphic gastric emptying time was observed after intragastric balloon treatment. We can predict the effect of intragastric balloons on weight control through scintigraphic gastric emptying times after the treatment. The effect of intragastric balloons on weight loss may be reinforced by combining intragastric balloon treatment with medication that can reduce gastric motility.

Copyright © 2013 by Lippincott Williams & Wilkins

XXVII Congresso Brasileiro de Medicina Nuclear

Dra. Sharmila Dorbala, da Harvard University, apresentou sua experiência sobre o uso do PET/CT em cardiologia.

Palestra sobre viabilidade miocárdica da Dra. Sharmila Dorbala. Neste slide ela expõe que toda região de perfusão miocárdica normal é viável. Nas regiões hipoperfundidas o PET com FDG demonstra viabilidade quando o metabolismo miocárdico de glicose está preservado.

Homenagem à Dra. Marilia Marone no Congresso Brasileiro de Medicina Nuclear e Imagem Molecular em Curitiba, outubro de 2013.



Abstract Submission Site Now Open for the SNMMI 2014 Annual Meeting!


Residência médica no Setor de Medicina Nuclear do HUAP


UFF abre inscrições para concurso de residência médica no Setor de Medicina Nuclear do HUAP — em http://www.coseac.uff.br/concursos/coreme/2014/index2014.htm


III Jornada Acadêmica de Radiologia e Medicina Nuclear


A Liga Acadêmica de Diagnóstico por Imagem da UFMG convida todos a participar da III JARAM, que visa à apresentação e discussão de temas frequentes em Radiologia e Medicina Nuclear para estudantes de medicina.

ONDE: Auditório do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais

Rua Timbiras, 1200 – Bairro Funcionários, na praça da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem


QUANDO: 21, 22 e 23 de outubro - à partir das 17h30, quando será iniciada a distribuição do material. As primeiras atividades, porém, começarão às 18h00.

O QUÊ: A programação completa será disponibilizada em breve!
- Palestras
-Temas Orientados
- Pôsteres

Se você está interessado em apresentar um Tema Orientado ou um Pôster, CONFIRA O EDITAL >> http://lidiufmg.wordpress.com/jaram2013/

terça-feira, 8 de outubro de 2013

27ª edição do Congresso Brasileiro de Medicina Nuclear começa amanhã


A partir de 10 de outubro Curitiba recebe os mais de 500 participantes da 27ª edição do Congresso Brasileiro de Medicina Nuclear. Um dia antes das atividades regulares começarem, em 9 de outubro, ocorrem os Cursos Pré-Congresso.

Multiprofissional, o encontro é organizado pela Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN), entidade filiada em setembro deste ano à Associação Médica Brasileira.

Pela primeira vez o Congresso da SBMN é realizado em conjunto com o Congresso Brasileiro de Radiologia, que já está em sua 42ª edição e tem como realizador o Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico (CBRD).

Para o presidente do encontro de Medicina Nuclear, Juliano Cerci, que também é diretor Científico da SBMN, integrar os Congressos selará a união das duas especialidades. “Fortalecerá e estreitará nossa relação e, com isso, facilitará o intercâmbio de conhecimento entre as especialidades”, avalia.

Entre os temas, serão trazidos à discussão na programação os aspectos técnicos, diagnósticos e terapêuticos da medicina nuclear, bem como sua relação com a radiologia, oncologia, hematologia, cardiologia, neurologia, entre outras.

No cenário internacional, o Congresso da SBMN contará com pelo menos oito convidados estrangeiros. E, no âmbito da pesquisa o presidente da Sociedade, Celso Dario Ramos, relata que o encontro promoverá o intercâmbio científico entre os participantes, por meio de apresentações de estudos que representem impacto no desenvolvimento da medicina nuclear nacional, em especial, no campo do estímulo à produção de estudos nacionais.

Serão aceitas inscrições no local, mediante a disponibilidade de vagas. Evento pontua na CNA. Acessehttp://www.congressocbr.com.br/ e saiba mais!


III Jornada Acadêmica de Radiologia e Medicina Nuclear


A Liga Acadêmica de Diagnóstico por Imagem da UFMG convida todos a participar da III JARAM, que visa à apresentação e discussão de temas frequentes em Radiologia e Medicina Nuclear para estudantes de medicina.

ONDE: Auditório do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais


Rua Timbiras, 1200 – Bairro Funcionários, na praça da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem



QUANDO: 21, 22 e 23 de outubro - à partir das 17h30, quando será iniciada a distribuição do material. As primeiras atividades, porém, começarão às 18h00.

O QUÊ: A programação completa será disponibilizada em breve!
- Palestras
-Temas Orientados
- Pôsteres

Se você está interessado em apresentar um Tema Orientado ou um Pôster, CONFIRA O EDITAL >> http://lidiufmg.wordpress.com/jaram2013/

Mais informações em breve.