domingo, 12 de março de 2017

Produção de Radiofármacos é retomada pelo IPEN


Funcionários do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN) retomaram a produção de radiofármacos na manhã de 10 de março, após realizarem assembleia. A greve, que havia sido iniciada em 8 e março, ocorreu em reivindicação à manutenção do pagamento do adicional da radiação ionizante, conforme acordado no ano de 2016 junto à CNEN. Os trabalhadores do IPEN devem se reunir novamente na terça-feira, dia 14, para analisar a situação.
Embora a produção dos geradores tenha sido mantida, a Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear – representada por seu presidente, Juliano Cerci, e os diretores Marília Marone e Celso Darío Ramos, levou o assunto à reunião interministerial que ocorreu em Brasília ontem, 9/03.
Agendado desde fevereiro, o encontro ocorreu para dar continuidade aos diálogos que vem sendo estabelecidos pela SBMN junto aos representantes do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), Ministério da Saúde (MS), Ministério de Ciência, Tecnologia, Informação e Comunicação (MCTIC); Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República.
O objetivo da Sociedade é encontrar uma solução definitiva para resolver o desequilíbrio entre o investimento necessário para realizar os procedimentos da medicina nuclear no Brasil e o valor atualmente praticado pela Tabela SUS para ressarcimento dos mesmos, o qual não é atualizado desde 2009.


terça-feira, 7 de março de 2017

XII Simpósio Edwaldo Camargo – PET/CT e SPECT/CT em Oncologia


Estão abertas as inscrições para o XII Simpósio Edwaldo Camargo – PET/CT e SPECT/CT em Oncologia.
O encontro, que acontecerá nos dias 2 e 3 de maio, será realizado na cidade de Campinas, interior de São Paulo, no Vitória Hotel Concept. Confira mais informações e inscreva-se! http://bit.ly/2nbqApW


Organizada pelo grupo MND, com apoio da SBMN e Unicamp - Universidade Estadual de Campinas, a atividade integra o calendário de simpósios anuais “PET/CT e SPECT/CT em Oncologia”, realizados pela instituição, que tradicionalmente aborda aspectos relevantes da Medicina Nuclear em Oncologia, por meio de discussão de casos e sessões interativas.

I Curso de Física para Operadores de Equipamentos de Medicina Nuclear

quarta-feira, 1 de março de 2017

Quem deve tomar a vacina de Febre Amarela?

26/01/2017

O País inteiro está em alerta, mais uma vez, por causa de uma doença transmitida por mosquitos. Este ano a Febre Amarela é a doença que está deixando todos os Brasileiros em perigo! Até dia 24 de janeiro foram confirmados 70 casos, sendo 40 óbitos por Febre Amarela no Brasil.

O QUE É A FEBRE AMARELA?
É uma doença febril, provocado pelo Vírus amarílico. Esse vírus pode provocar uma doença leve ou até mesmo grave que pode levar à morte. Inicialmente o quadro é de febre alta, dor de cabeça intensa, dor muscular, prostração, náuseas e vômitos e pode evoluir para o comprometimento do fígado, diarréia e hemorragias. A doença começa a se manifestar de 3 a 6 dias após a picada do mosquito infectado. 

COMO A FEBRE AMARELA É TRANSMITIDA?

Figura 1. Ciclos epidemiológicos da Febre Amarela 

Fonte: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/informacoes-tecnicas-febreamarela

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?
O diagnóstico de Febre Amarela é realizado pelo conjunto de informações obtidas durante o exame clínico associado à exames de sangue. Em caso de suspeita, procure imediatamente um médico!

QUEM DEVE RECEBER A VACINA?
Todas as crianças nascidas em áreas endêmicas (incluindo todo o Estado de Minas Gerais) recebe a vacina de Febre Amarela aos 9 meses de idade, seguida de um reforço aos 4 anos.
Pessoas que já receberam 2 doses da vacina durante a vida estão imunizados para sempre!
Crianças maiores de 5 anos que nunca recebeu nenhuma dose da vacina e mora ou irá viajar para áreas de risco, deverão receber a primeira dose agora e a segunda dose 10 anos após a primeira.

A lista completa dos municípios que possuem recomendação de vacinação contra a Febre Amarela pode ser encontrada em: http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2015/novembro/19/Lista-de-Municipios-ACRV-Febre-Amarela-Set-2015.pdf

Figura 2. Área Com e Sem Recomendação de Vacina Febre Amarela ,Brasil, 2015 

Figura 3. Orientações sobre quem deve se vacinar.

Fonte: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/27366-ministerio-da-saude-amplia-a-protecao-a-vacinacao-contra-a-febre-amarela

Não deixe seu filho desprotegido, procure o seu Pediatra para tirar todas as suas dúvidas!



Fique atento, o calendário de vacinação mudou!

10/02/2017 por Dra Tânia Cavalho

O Calendário Nacional de Vacinação do SUS mudou e temos muitas notícias boas!

As principais alterações são para nossos adolescentes, que agora receberão as vacinas de Meningite C e HPV!

A vacinação contra o HPV nos adolescente objetiva protegê-los antes do início da vida sexual e consequentemente antes do contato com o vírus. O HPV é direitamente responsável por câncer de pênis, garganta, ânus, útero, vulva, vagina, pelas verrugas genitais e lesões pré-cancerígenas.

A meningite C é responsável por cerca de 60 a 70% dos casos de Meningite no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde. A vacinação dos adolescentes irá reforçar a eficácia da vacina, que se reduz com o tempo. Até ano passado, essa vacina era oferecida apenas para crianças de 3, 5 e 12 meses de idade. 

Além dessas mudanças, que são nacionais, outra alteração importante no Calendário Vacinal dos moradores de Belo Horizonte é na vacina de Febre Amarela! Essa recomendação foi dada pela Prefeitura de Belo Horizonte em 10/02/2017 após a identificação do vírus em primatas não humanos na cidade.

HPV:

A partir de 2017 a vacina cerá disponibilizada para meninas de 14 anos e meninos de 12 a 13 anos. O objetivo do Ministério da Saúde é ampliar gradativamente a faixa etária, de forma que em 2020 todos os adolescentes de idade entre 9 e 13 anos serão vacinados!


Meningite C:

Em 2017 estará disponível para adolescentes entre 12 e 13 anos e o objetivo também é ampliar a faixa etária até 2020, quando todos os adolescentes entre 9 e 13 anos de idade deverão ser vacinados.


FEBRE AMARELA:

As alterações são válidas apenas para os moradores de Belo Horizonte!

Crianças entre 6 e 9 meses: Devem receber uma dose da vacina agora e mais duas doses aos 9 meses e aos 4 anos, respeitando sempre o intervalo mínimo de 30 dias entre cada dose!

Crianças de 9 meses a 4 anos: Devem ser vacinadas conforme o calendário anterior. 

Crianças acima de 5 anos: que receberam um dose da vacina após os 5 anos, devem receber reforço com intervalo mínimo de 10 anos

Crianças acima de 5 anos: que receberam uma dose antes dos 4 anos, deverão ser vacinadas imediatamente, respeitando o intervalo de no mínimo 30 dias entre cada dose.

Link original: http://www.mirimpediatria.com.br/single-post/Novo-calend%C3%A1rio-Vacinal-2017

Medicina nuclear é tema de reunião entre Ministérios

Solicitado pela SBMN, encontro teve como objetivo expor questão do reajuste da Tabela SUS


A Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN), representada pelo presidente, Juliano Cerci, e pelos diretores, Marília Marone, Celso Darío Ramos e  Gustavo Gomes, reuniu-se nesta terça-feira, dia 21 de fevereiro, com representantes de diferentes ministérios, em Brasília (DF): Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), Ministério da Saúde (MS), Ministério de Ciência, Tecnologia, Informação e Comunicação (MCTIC); Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República. Houve ainda a presença da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN).
Solicitado pela Sociedade, o encontro teve como objetivo expor a situação da medicina nuclear frente à questão do desequilíbrio entre o investimento necessário para realizar os procedimentos da medicina nuclear no Brasil e o valor atualmente praticado pela Tabela SUS para ressarcimento dos mesmos, o qual não é atualizado desde 2009.
Houve um importante retorno às ações que vem sendo desenvolvidas pela SBMN, sobretudo nos últimos anos. Os dados que foram encaminhados pela entidade em 2016 em proposição para recomposição da Tabela estão em análise.
A expectativa é que em breve ocorra uma nova reunião em breve com a Secretaria de Atenção à Saúde (SAS-MS) para definições do reajuste da tabela.